História de Botujuru

Na língua tupi-guarani, Botujuru tem o significado de "boca dos ventos" e desde o seu surgimento confunde-se com a história de Campo Limpo Paulista, pois ambos nasceram às margens da Estrada de ferro (SPR). 

Botujuru, outrora um pequeno povoado, moradia de ferroviários, oleiros e lenhadores, mais conhecido por seu túnel ferroviário, construído no século XIX pela SPR, que com o seu quilômetro de extensão o tornou, durante décadas, o mais longo do Brasil, só se expandiu demograficamente com proliferação dos loteamentos, quase todos, lamentavelmente, sem a mínima infra-estrutura.

A estação de Botujuru foi aberta em 1908 pela SPR, como posto telegráfico, e até 1979 era apenas uma parada com plataforma de madeira, uma cabina e um posto, quando, então, a Rede Ferroviária Federal inaugurou o prédio novo para a estação.

Consta que, durante a Revolução Constitucionalista de 1932, os paulistas construíram várias trincheiras sobre o túnel, que até hoje existem.

Assim, hoje Botujuru conta com vários bairros: Jardim das Palmeiras; Jardim Brasília; Jardim Fritz; Vila Chacrinha; Vila Botujuru; Vila Constança; Colina do Pontal; Vila Ipê; Outeiro das Paineiras; Vila Firenze; Vila Marieta; Parque Santana; Jardim Santa Isabel; Vale das Castanheiras; Parque Loja da China e Fazenda Santa Paula.

Passou à categoria de Distrito através da Lei Estadual nº 4.954, de 27 de dezembro de 1985, e teve um papel de destaque na história do Município, pois é considerado o berço da emancipação, pois lá residia o presidente da Comissão da Emancipação Político-Administrativa, Adherbal da Costa moreira, que em seguida se tornou o primeiro prefeito eleito de Campo Limpo Paulista.

Adherbal, que tinha a têmpera do homem público, voltado para o desenvolvimento social, foi também o presidente da Sociedade Amigos do Botujuru. Foi obra dele a construção da Praça da Igreja Santo Antônio com respectivo coreto. Sua esposa, dona Yolanda, deu o nome a uma creche do Distrito.

Vários outros políticos locais de destacaram, como os vereadores Jair Pereira dos Santos, Antônio Faustino Bizetto, Valdir de Jesus Alvarez, Manoel Bananeiro e José de Souza Charrua, este último, antigo morador de Botujuru, ferroviário (cabineiro da Estação), deu o nome a uma escola do Distrito, na Av. Casa Branca. Pela sua habilidade política, Charrua chegou a ser presidente da Câmara Municipal.

Botujuru foi também o local onde se instalou, em 1946, o primeiro empreendimento industrial de Campo Limpo Paulista, a "Fábrica de Fogos Dois Anões", de propriedade da Loja da China, um importante estabelecimento comercial da Capital, e que deu nome ao loteamento Parque Loja da China, que hoje compõe o Distrito de Botujuru. Há relatos que a fábrica sofreu uma explosão acidental, ocasionando a intervenção do Exército no local.

Como curiosidade, reportamos o que nos foi dito por dona Maria Olga Paulino dos Santos, viúva do vereador Jair Pereira dos Santos, que conta que Vila Chacrinha era também conhecida como a "Vila dos Pelados". A alcunha foi dada pelos passageiros de trem, que passando pelo local viam frequentemente crianças nuas."

Enfim, como podemos ver, não é só em extensão territorial que Botujuru é grande. Sua importância transcende aspectos meramente socioeconômicos ou geográficos.