CORONAVÍRUS: SP chega a 6,1 mil mortes por coronavírus e mais de 82 mil casos confirmados; UTIs na G


Covas abertas no Cemitério de Vila Formosa, na Zona Leste de São Paulo, durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) — Foto: FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: G1

Governo estadual adiantou feriado para a próxima segunda-feira (25) para tentar elevar índice de isolamento social. Mais de 82 mil pessoas foram infectadas em 508 municípios de São Paulo.

O estado de São Paulo chegou a 6.163 mortes causadas pelo novo coronavírus, segundo boletim da Secretaria de Estado de Saúde divulgado neste domingo (24). São 118 mortes a mais em relação ao balanço de sábado (23). Há ainda 82.161 casos confirmados da doença em 508 municípios do estado.

Segundo a Secretaria de Saúde, há 11,9 mil pacientes internados no estado, sendo 4.661 em UTI e 7.321 em enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos de UTI reservados para atendimento a Covid-19 é de 75,7% no estado de São Paulo e 91,8% na Grande São Paulo.

Mais da metade dessas pessoas infectadas é da capital paulista. Até o último balanço da Prefeitura, na quinta-feira (21), a capital tinha 3.252 mortes e 44.516 infectados. Embora a capital paulista ainda concentre a maioria dos casos, estudos realizados pelo governo mostram que a doença tem avançado de forma quatro vezes mais rápida no interior e litoral.

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou neste sábado a morte de um paciente de 64 anos com doenças preexistentes no Hospital de Campanha do Anhembi. No acumulado foram 24 óbitos nos hospitais de campanha da prefeitura, sendo 23 no Anhembi e um no Pacaembu.

No Hospital de Campanha do Ibirapuera, administrado pelo governo estadual, a primeira morte foi registrada na última quinta-feira (21).

Para tentar aumentar o isolamento social, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou, em sessão extraordinária virtual nesta segunda-feira (18), o projeto de lei que permitiu a antecipação de feriados municipais na cidade de São Paulo. Os feriados de Corpus Christi (11 de junho) e da Consciência Negra (20 de novembro) foram antecipados para esta quarta (20) e quinta (21). Na sexta-feira (22), foi declarado ponto facultativo na cidade.

Na sexta-feira (22), a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou a antecipação do feriado de 9 de julho para esta segunda-feira (25), o que prolonga ainda mais o feriado.

SP - Paciente internado em Guarulhos, na Grande São Paulo, durante pandemia de coronavírus — Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

Perfil das vítimas

Entre as vítimas, 3.629 são homens e 2.534, mulheres. A maior parte das mortes, 72,9% , foram de pacientes com 60 anos ou mais.

Os principais fatores de risco associados são são cardiopatia (58,5% dos óbitos), diabetes mellitus (43,3%), doença neurológica (11,3%), doença renal (10,4%) e pneumopatia (9,7%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática. Esses fatores de risco foram identificados em 4.981 pessoas que faleceram pela doença, o que equivale a 80,8% do total. Em menor número, foram também identificados outros fatores como imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática.

Pandemia pode seguir até outubro

Dimas Covas, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, disse nesta sexta-feira (22) que se o isolamento social não for superior a 70% nos próximo dias, a pandemia do coronavírus vai se prolongar até outubro deste ano em São Paulo.

"Se nós tivéssemos um índice de isolamento superior a 70%, essa epidemia ela estaria sob controle. No ritmo atual, não estamos chegando a 55% como mostram as projeções médias, vamos dizer assim, essa epidemia vai se prolongar. Ela vai além de agosto, setembro e provavelmente poderá chegar até outubro", disse Covas.Segundo ele, a curva continua crescendo, atingido velocidade.

"E essa velocidade se aproxima do seu máximo como será nos próximos dez dias, próximos quinze dias, pelo menos essa é a previsão. E nós estamos aí num impasse. As medidas de isolamento social que já foram maiores lá no fim de março, começo de abril, hoje ainda estão muito aquém do que seria necessário para frear essa velocidade", disse o coordenador.

"Mesmo com as medidas do feriado, que é importante, nós chegamos a um nível de 52% na Região Metropolitana, 48% no interior, e já tivemos aqui no estado de São Paulo 56%, 57% de isolamento."