Doutor Aléssio Grandizoli : A importância do Distrito de Botujuru


A História do Distrito de Botujuru se confunde com a da cidade de Campo Limpo Paulista, pois ambos nasceram à margem da ferrovia. Botujuru foi durante muito tempo moradia de ferroviários, oleiros e lenhadores enfim, um povo trabalhador que sustentou durante décadas o desenvolvimento da indústria cafeeira paulista.

O Distrito foi idealizado para ser industrial, sendo assim força motriz para o desenvolvimento da cidade através da instalação de grandes indústrias, gerando emprego, renda e receita para o município. Mas, ao longo do tempo e por interpretações errôneas dos governantes e de loteadores mal-intencionados que aqui passaram nos últimos anos, Botujuru foi se distanciando desse ideal e hoje é um bairro residencial com inúmeros problemas de infraestrutura.

O Distrito de Botujuru é composto por 16 bairros e tem uma população estimada de mais de 20 mil habitantes e por apresentar esse número de moradores – e possíveis eleitores – sempre em períodos próximos às eleições, vira alvo das investidas de oportunistas políticos. Vale lembrar, que por vezes foi prometido à Botujuru a entrega do tão sonhado túnel, reivindicação antiga dos moradores, e que foi alvo de inúmeras campanhas eleitoreiras com o uso de massivo material usando a mídia local – que estava à serviço daqueles que governavam (Dr. Armando e Dr. Luiz) – e era usada para enganar o povo em eventos cheios de falsas promessas inclusive com a presença de governadores do Estado de São Paulo. O resultado de toda essa mentira é que não há túnel em Botujuru até os dias de hoje e os moradores ainda sofrem para transitar naquele local. Vamos relembrar através de algumas notícias.

E tal atitude desperta o descontentamento de toda comunidade. Semanas atrás, durante uma missa, o Padre Anderson, que goza de muito prestígio perante a comunidade, comentou e demonstrou sua indignação sobre o abandono da cidade e principalmente do distrito de Botujuru “Hoje passei pela estrada e falei: que vergonha para a cidade de Campo Limpo Paulista. Fazem dez anos que saí daqui e a estrada continua igualzinha. Não mudou nada, não fizeram uma guia, não jogaram nem um cimento. Que vergonha pra política de Campo Limpo Paulista! Não há uma melhoria nesse bairro e eu falo pra vocês quando as pessoas dizem que o povo de Botujuru sofre. Sofrem por que não tem progresso(…). Eu vi o governador (Alberto Goldman) inaugurar aqui, ele tomou um café na minha casa o miserável. Tomou um café em minha casa para inaugurar a ponte nova da ponte seca, vocês se lembram disso? Até hoje, cadê essa ponte?” diz o padre Anderson, com indignação.

Agora observamos, mais uma vez, a chegada das eleições municipais e com ela desabrocha o oportunismo daqueles que não sabem da importância de Botujuru e o usam – oportunamente – para promoverem obras pontuais e sem grande impacto, tudo para maquiar a falta de competência e interesse ao longo dos últimos três anos dessa gestão desastrosa. Japim de Andrade, o atual prefeito, tenta desesperadamente dar uma ideia de movimento e de realização, gastando milhões para promover obras de embelezamento e manutenção da cidade, na tentativa de reverter a imagem do Prefeito mais incompetente e reprovado da história de Campo Limpo Paulista

(Fonte pesquisa JR Jundiaí).

Dr. Aléssio Grandizoli

Advogado

Pós graduado em Direito Público

#botujuru #alessio #grandizoli #campolimpopaulista